Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

kinhas

28
Fev19

A Bauhaus é Centenária! - Parte II


Os 100 anos de criação da Bauhaus, só podia dar azo a projetos inovadores, e os 99designs, não podiam deixar esta data em branco.

 

Já antes vos tinha postado a história da Bauhaus, como forma de comemoração dos 100 anos, agora vou-vos mostrar alguns logotipos de marcas bem conhecidas, ao estido Bauhaus feito pelos 99designs. A criatividade do ser humano não tem realmente limites.

 

 

Android logo in Bauhaus design style

Logo designed by ✪ SSUK™

 

Ferrari logo in Bauhaus design style

Logo designed by Asaad™

 

Google logo in Bauhaus design style

Logo designed by artopelago™

 

Netflix logo in Bauhaus design style

Logo designed by ►ArsDesigns◄

 

National Geographic logo in Bauhaus design style

Logo designed by or_range

 

Apple logo in Bauhaus design style

Logo designed by Vladimir Nikolic

 

Burger King logo in Bauhaus design style
Logo designed by BlackLogo
Instagram logo in Bauhaus design style
Logo designed by dnk_
 
 
 
Magnífico, não?
 
 
Fontes de imagem e informação, site
27
Fev19

Meditação com o pioneiro do movimento de auto-ajuda!


Pois bem, hoje numa das idas à livraria, deparei-me com o livro "O Grande Livro da Meditação", sem querer entrar na tentação de comprar mais um de vários livros que existem na livraria sobre o tema "meditação", decidi ler um pouco sobre o autor do livro (James Allen) e ver um pouco do conteúdo, até que decidi mesmo que este tinha que comprar. Porquê? Pois bem, todos os dias tenho umas sábias palavras para interiorizar e meditar, ou seja, muito bom, depois foi o pioneiro do movimento de auto-ajuda. Olhando bem ao ano em que nasceu o autor (1864), poderemos pensar que já poderia estar ultrapassado, no entanto, os valores que estas palavras nos transmitem, não podem nunca ser perdidos em época alguma.

 

PL459_Pensamento09.jpg350x.jpg

 

Aproveitando a apresentação que o livro nos faz sobre o autor, "James Allen foi escritor, filósofo e poeta. Escreveu sobre temas complexos como a fé, o destino, o amor, a paciência e a espiritualidade, mas teve o raro dom de conseguir expor os temas de forma tão clara e simples, que qualquer pessoa os pode compreender. 
Nasceu em 1864, em Leicester, Inglaterra, de onde partiu aos 15 anos, com toda a família, rumo aos Estados Unidos. Contudo, dois dias depois de chegarem ao novo continente, o seu pai viria a falecer, o que obrigou a família a reorganizar-se. A morte do pai levou James Allen a abandonar a escola e a começar a trabalhar para ajudar a sustentar a família. Apesar de trabalhar durante muitas horas, Allen continuou a ler e a estudar os temas mais diversos.

Entre os seus autores preferidos, incluíam-se Shakespeare, Milton, Emerson, Buda, Jesus, Whitman e Lao-Tsé.
Todas as manhãs, andava pelas montanhas à volta da sua casa e aproveitava para refletir e meditar sobre os assuntos que lhe ocupavam a mente. Depois, regressava a casa e escrevia até à hora de almoço. À tarde, estava com a família, tratava da quinta, fazia jardinagem e jogava croquet com os amigos.
Faleceu em 1912, mas a obra que deixou fica para a posterioridade."

 

A meditação é ótimo para o equilíbrio da nossa mente e espírito. Aconselho vivamente... Antes de comprar este livro, a minha técnica de meditação era durante meia-hora dizer de forma repetida e pausada a palavra Maranata, uma expressão usada na Bíblia de acordo com o catecismo da Igreja Católica. «Marana tha» («Vem, Senhor!») (1 Cor 16, 22)

 

Boas leituras ...

24
Fev19

Cella Bar do Pico


Cella Bar, localizado na ilha do Pico, nos Açores, mais precisamente no Lugar da Barca, Madalena, é com certeza para Filipe Paulo e Fábio Matos um orgulho, não só por se ter tornado num local de sucesso onde se pode conviver, petiscar e beber como por ter recebido a distinção de Edifício do Ano 2016 na categoria de Hospitalidade pela ArchDaily. Cella Bar é uma obra de Paulo Lobo, designer de interiores e Fernando Coelho da FCC Arquitetura que vê, certamente, neste projeto um reconhecimento do seu empenho quando conseguiu unir o traçado original da antiga adega com o seu traçado contemporâneo.

Analisem e desfrutem deste orgulho nacional nas seguintes fotografias de Fernando Guerra | FG+SG.

 

Tudo Made in Portugal.

 

12523908_1736996839864012_1501953273091590523_n.jp

12274434_1720234351540261_1950126192292709135_n.jp

12247107_1720234508206912_241465021976044665_n.jpg

12289744_1720234241540272_8835131817482784636_n.jp

12249647_1720232951540401_2280783959167410609_n.jp

12294732_1720232461540450_3127150902741522852_n.jp

12227077_1719353111628385_3676448738267778088_n.jp

12239546_1720231634873866_7290895782938795567_n.jp

12247069_1719352678295095_6054007073464882084_n.jp

12249834_1720232574873772_1873195812965223597_n.jp

12278745_1719353234961706_1989159384269338182_n.jp

 

Fontes de imagem, disponíveis na página do facebook Cella Bar.

21
Fev19

A precisar de um café?


Para todos os amantes de café, para aqueles que não são amantes mas tem necessidade de um café num determinado lugar, o design do Minipresso da Wacaco, com origem no Japão, ajuda e muito, pois foi preparado para tomar o seu café em qualquer lugar. Não sou apreciadora de café, mas sou apreciadora de design e sei que este é um objeto que muita gente apreciaria pelo simples facto de caber em uma só mão, facilitando o seu transporte e acima de tudo pela sua utilidade. Neste utensílio, pode-se claramente usar a célebre frase do arquiteto Louis Sullivan «A forma segue a função».

 

Product-gallery-006.jpg

Product-gallery-005.jpg

Product-gallery-007.jpg

002-LD_156fdcc8-3fed-4e5b-bb10-c627442d623a.png

 

Fontes de imagem, site.

18
Fev19

Caiações do 'Moinho Barroco'


Hoje vamos até ao Alentejo, mais precisamente ao Moinho Barroco em Arraiolos. Lá bem nesse sítio podemos encontrar as Casas Caiadas, três lindas casas de aparência alentejana que um casal de Lisboa conseguiu recuperar para turismo rural. Quase parece um presépio. Está muito bem conseguida a forma como aliaram a arquitetura tradicional, com objetos e materiais tradicionais com mobiliário contemporâneo. Está simples e dá vontade lá viver.

Este é um projeto de Pereira Miguel Arquitectos.

As fotografias são de Fernando Guerra | FG+SG, Rute Raposo.

 

CC2.jpg

 

090107_01.jpg

 

_GG_9201.jpg

 

090833_01.jpg

 

090112_01.jpg

 

090128_01.jpg

 

090772_01.jpg

 

090702_01.jpg

 

090662_01.jpg

 

090495_01.jpg

 

Autoria das imagens, Fernando Guerra | FG+SG, Rute Raposo.

16
Fev19

Loulé [é] Criativo!


Hoje vou-vos falar num projeto criado pela Câmara Municipal de Loulé que é de se tirar o chapéu, o projeto "Loulé Criativo", é dos projetos mais enriquecedores do Distrito de Faro, na medida em que quem os visita seja para fazer as pequenas experiências criativas ou até mesmo para as oficinas, tem a oportunidade de aprender experiências tradicionais de outros tempos, como por exemplo, a empreita, a arte do relojoeiro, trabalhar com o barro...

 

 

2019-02-05-010751loule-criativo-no-outlet-24-01-20

 

"Loulé Criativo", subdivide-se no "Turismo Criativo" e no "ECOA" (Espaço de Criatividade, Ofícios e Artes).

O "Turismo Criativo", é basicamente workshops de vários temas que podem interessar a toda a população portuguesa ou até mesmo estrangeira que nos visita. Das várias experiências criativas que se realizam no "Turismo Criativo", as três mais interessantes, na minha opinião, são pintura em azulejo, que se está a realizar ao longo do dia de hoje, o workshop de empreita e ainda adorei a ideia de integrarem o Carnaval de Loulé, também nesta iniciativa e, nessa experiência temos oportunidade de ter uma visita guiada pelo armazém onde se confecionam os carros alegóricos, fazer uma coroa com flores de papel colorido e ficar a conhecer o processo de confeção dos fatos de Carnaval. Giríssimo!

Já o "ECOA" é constituído por formações, laboratório, Rede de Oficinas, Residências Criativas e Eventos. Ao nível da formação, tem agora disponível três formações, onde nos dão em uma delas, a oportunidade de confecionar "bonecos de pano representativos do mundo rural algarvio, onde cada figura faz alusão às tarefas desempenhadas pelas gentes do interior, constituindo verdadeiras peças de etnografia local", tendo como formadora Filipa Faísca de Sousa.

 

2019-02-15-02365139jpg.jpg

 

O "Loulé Design Lab" é um laboratório de criação, integrado no "ECOA", onde são disponibilizadas condições para a formação e fixação de uma comunidade criativa, onde faz o acolhimento e a incubação de criadores em espaços de coworking, a promoção de projetos de investigação aplicada à produção local, com um laboratório de criação e desenvolvimento de produtos, uma rede de oficinas parceiras com residências artísticas, workshops, conferências e exposições.

O mais interessante no "ECOA" para mim é sem dúvida, a "Rede de Oficinas", em que todas as oficinas têm um fundamento, dar continuidade a estas atividades que se ninguém se interessar futuramente, terá como tendência um fim de uma profissão tão importante na nossa região. Esta Rede disponibiliza cinco oficinas, a "Casa da Empreita", "Oficina dos Caldeireiros", "Oficina do Relojoeiro", "Oficina do Barro" e a "Oficina dos Cordofones".

 

 

2018-02-26-035058casa-da-empreitajp.jpg

 

2018-02-26-035242caldeireiros-2jpg.jpg

 

2019-02-15-123051dsc0869jpg (1).jpg

 

31950340_2105932239732487_8290801200849223680.jpg

 

48281439_2281040835554959_6208645916681830400_n.jp

 

Os eventos desenvolvidos ao nível do "ECOA", passa por dar a conhecer os trabalhos desenvolvidos nos workshops, cursos, laboratório e oficinas, sendo que agora apenas estão expostos no Designer Outlet Algarve, no entanto, já estiveram anteriormente em várias edições do Algarve Design Meeting.

 

Espero com isto despertar a vossa parte criativa e às entidades competentes, dar a conhecer que há muito público para este tipo de iniciativa, público este que tem todo o interesse que dêem o devido valor às artes e oficios e que acima de tudo não deixem "morrer" certas tradições.

 

Fontes de imagem e informação, site

09
Fev19

A Bauhaus é Centenária!


A primeira instituição de ensino a quebrar as fronteiras e aquela que foi a escola pioneira na fusão da arte, o design e a arquitetura. Uma escola criada por um sargento da Primeira Guerra Mundial, que surgiu em um dos países aliados da Primeira Grande Guerra e aquela que nós estudamos na disciplina de História da Arte.

 

 

 

Fundada há 100 anos pelo arquiteto alemão Walter Gropius, a Escola Bauhaus deixou marcas profundas que nos chegaram aos dias de hoje.

Nos quase 14 anos de existência, a Bauhaus revolucionou o pensamento criativo e artístico e a criatividade em todo o mundo, como tal, é impossível falar da Bauhaus sem citar os seus fatos históricos.

Em 1916, enquanto ainda servia como sargento na Primeira Guerra Mundial, Walter Gropius propôs a criação de uma instituição de ensino que fornecesse orientação artística à indústria, ao comércio e ao artesanato, o que resultou na sua nomeação como mestre da Academia de Belas Artes de Weimar, na Alemanha, em 1919. Meses depois, ele conseguiu aprovar a fusão da academia com a Escola de Artes e Ofícios, fundando então a Escola Bauhaus.

 

A Bauhaus propôs uma combinação de ensino. O coração da educação do designer foi a experimentação e o design nas oficinas da Bauhaus, onde a separação do trabalho e do ensino foi amplamente abolida. Cada disciplina tinha sua própria oficina: cerâmica, tecelagem, carpintaria, metal, gráfica, oficina de palco, oficina de pintura em vidro e parede. Em cada oficina havia alguém responsável pelos aspectos técnicos e que cuidava dos lados estético-criativos. Mais tarde foram adicionadas, as oficinas de fotografia e publicidade, bem como uma educação arquitetónica regulamentada.

Após três anos de estudos, o aluno era submetido a uma prova diante dos professores para conseguir o diploma. Uma segunda fase, com oficinas e cursos focados em construção, garantia o título de mestre.

 

Esquema para a construção do ensino na Bauhaus, desenhado por Walter Gropius, 1923.

 

Como professores Walter Gropius havia contratado um número de artistas bem conhecidos, professores importantes como Ludwig Mies van der Rohe, Wassily Kandinsky, Oskar Schlemmer,  Johannes Itten, Lyonel Feininger, Gerhard Marcks Paul Klee e László Moholy-Nagy.

 

Poster para a exposição Bauhaus em Weimar 1923, design: Joost Schmidt

 

Para fugir da onda conservadora de Weimar, a escola muda-se em 1925 para Dessau. Walter Gropius aproveitou a oportunidade para projetar um edifício que representasse os ideais defendidos pela Bauhaus, como a estética ligada à funcionalidade e a economia de materiais. A enorme fachada de vidro, totalmente inovadora, permitia a ventilação e a iluminação naturais nos ateliês. Todos os elementos decorativos, como móveis e candeeiros, foram projetados e executados durante as oficinas.

 

O edifício Bauhaus em Dessau do noroeste, Arquitectura: Walter Gropius / Foto: Lucia Moholy, 1926

 

Em 1928, Walter Gropius abandona o cargo de diretor e nomeia o suíço Hannes Meyer como seu sucessor. Sob o novo comando, a escola focou na produção de móveis em larga escala e na construção de conjuntos habitacionais populares. Dois anos depois, Hannes Meyer é demitido, e quem assume o cargo é o alemão Mies van der Rohe. Com a ascensão do regime nazista, a escola passa a ser perseguida sob a acusação de espalhar ideais esquerdistas.

Como última tentativa de sobrevivência, Mies Van der Rohe muda a sede para Berlim em 1932. Mas pouco mais de um ano depois, a escola é fechada de vez, forçando diversos professores e alunos a fugir da Alemanha. Essa diáspora fez com que os ideais da Bauhaus se transformassem no movimento modernista que ainda hoje é falado nos cursos de Artes.

Ao longo deste ano, com a comemoração dos 100 anos, a Bauhaus irá renascer com alguns eventos.

 

Fontes de imagem e informação, site site

04
Fev19

De regresso! Eu e o meu novo EU


affection-appreciation-art-424517.jpg

 

 

Pouco mais de seis meses sem vos postar nada é imperdoável.

Pode-se dizer que nos últimos três meses deste tempo tive a maior viagem da minha vida, onde descobri que a vida é das maiores preciosidades que Deus nos deu. Onde descobri que nada acontece por acaso, que a nossa vida é como um puzzle onde tudo se encaixa e no fundo, no fundo temos que vivê-la da melhor forma que conseguirmos sem desperdiçar um minuto. Este período não foi fácil, nada mesmo, quero esquecer todos aqueles períodos menos bons, mas jamais vou esquecer todos os valores que estes momentos me transmitiram. Aprendi realmente o verdadeiro significado da palavra GRATIDÃO, aprendi que se vivemos em comunidade é porque realmente não nos podemos fechar numa carapaça e viver na solidão sem pedir ajuda naqueles momentos. Aprendi que devemos ter todos os dias pelo menos meia-hora de meditação para nos encontrarmos connosco mesmos ou até mesmo com Deus (para quem acredita, claro). Aprendi tanto mas tanto que até dói só de pensar.

Aprendi também que "para trás mija a burra", como tal, como forma de me mimar aqui está o regresso neste meu projeto.

Obrigada Alda, do fundo do coração por tudo o que tens feito comigo...

Não me vou esconder mais neste blog, o meu nome é Mónica Neves Pereira e estou cá para vos postar aquilo do qual eu gosto (arquitetura, artes, design) e um pouco da minha vida.

Aos poucos vou-vos falando mais de mim e das minhas experiências. Pode ser que vos ajudem em algum momento das vossas vidas.

 

A imagem foi retirada do meu site preferido de imagens gratuitas Pexels.

Sobre mim

foto do autor

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.