Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

kinhas

15
Mai19

Casa da Cascata Portuguesa


Fiquei encantada quando vi a Casa Gerês, uma habitação da responsabilidade do gabinete de arquitetura e design, Carvalho Araújo. Tal como acontece com a famosa Casa da Cascata do famoso arquiteto Frank Lloyd Wright, esta é uma habitação que está em perfeita harmonia com o espaço que a envolve. Construída em betão, madeira e vidro, numa encosta do Vale da Caniçada, fazem desta, uma casa de sonho pela natureza envolvente.

 

05_casageres_0.png

09_casageres.png

07_casageres.png

03_casageres.png

Fontes de informação e imagem, O Público e Carvalho Araújo.

02
Mai19

Desnuda mas não despida!


Esta casa de despida não tem nada, mas o nome que a designaram foi mesmo de 'Casa Desnuda'. Uma obra dos arquitetos Víctor Alejandro Cruz Domínguez, Iván Atahualpa Hernández Salazar e Luís Armando Estrada Aguilar da Taller Estilo Arquitectura, no México mais precisamente em Mérida, podemos ver esta habitação em que ressalta aos olhos o que de mais moderno se faz em arquitetura habitacional. Cada espaço, cada cantinho tem pormenores únicos.

Fiquei completamente rendida a este projeto. Não consegui ficar indiferente aos quadros que embelezam as paredes com elementos mexicanos. O material usado nas paredes e o verde da plantação juntamente com o mobiliário moderno, resulta no seu todo, muito bem.

 

_MG_1651.jpg

 

_MG_1638-HDR.jpg

 

_MG_1585.jpg

 

_MG_1669.jpg

 

_MG_1624.jpg

 

_MG_1677.jpg

 

_MG_1680.jpg

 

_MG_1473-HDR.jpg

 

_MG_1570.jpg

 

_MG_1506-HDR.jpg

 

Autoria das imagens, fotógrafo David Cervera.

22
Abr19

Cella Bar do Pico


Cella Bar, localizado na ilha do Pico, nos Açores, mais precisamente no Lugar da Barca, Madalena, é com certeza para Filipe Paulo e Fábio Matos um orgulho, não só por se ter tornado num local de sucesso onde se pode conviver, petiscar e beber como por ter recebido a distinção de Edifício do Ano 2016 na categoria de Hospitalidade pela ArchDaily. Cella Bar é uma obra de Paulo Lobo, designer de interiores e Fernando Coelho da FCC Arquitetura que vê, certamente, neste projeto um reconhecimento do seu empenho quando conseguiu unir o traçado original da antiga adega com o seu traçado contemporâneo.

Analisem e desfrutem deste orgulho nacional nas seguintes fotografias de Fernando Guerra | FG+SG.

Tudo Made in Portugal.

 

12523908_1736996839864012_1501953273091590523_n.jp

12274434_1720234351540261_1950126192292709135_n.jp

12247107_1720234508206912_241465021976044665_n.jpg

12289744_1720234241540272_8835131817482784636_n.jp

12249647_1720232951540401_2280783959167410609_n.jp

12294732_1720232461540450_3127150902741522852_n.jp

12227077_1719353111628385_3676448738267778088_n.jp

12239546_1720231634873866_7290895782938795567_n.jp

12247069_1719352678295095_6054007073464882084_n.jp

12249834_1720232574873772_1873195812965223597_n.jp

12278745_1719353234961706_1989159384269338182_n.jp

 

Fontes de imagem, disponíveis na página do facebook Cella Bar.

11
Abr19

Antiga Igreja em Illinois


casa transformada em igreja bimbon

 

O que me fascina nestas transformações é a capacidade que os profissionais, que desenvolvem estas obras, têm, ao afastar toda a imagem de uma antiga igreja e lhes dar apontamentos modernos de forma a ficar com uma construção interior completamente contemporânea e minimalista.

É de louvar o resultado final desta igreja, situada em Chicago, mais precisamente em Illinois. Este resultou num projeto de Linc Thelen Design e Scrafano Architects para uma família de cinco pessoas.

 

arquitetura-church-renovation04.jpg

arquitetura-church-renovation05.jpg

arquitetura-church-renovation08.jpg

arquitetura-church-renovation06.jpg

arquitetura-church-renovation13.jpg

arquitetura-church-renovation09.jpg

arquitetura-church-renovation07.jpg

arquitetura-church-renovation12.jpg

arquitetura-church-renovation11.jpg

arquitetura-church-renovation15.jpg

arquitetura-church-renovation16.jpg

arquitetura-church-renovation20.jpg

arquitetura-church-renovation19.jpg

arquitetura-church-renovation21.jpg

 

As fotografias são originais de Jim Tschetter. Podem ter mais informações relativamente a este projeto no site da Casa Vogue.

 

Fontes de imagem, páginas referenciadas.

22
Mar19

De São Bernardo a Bernardas


No antigo Mosteiro feminino de São Bernardo, pertencente à Ordem Cisterciense ou Ordem de Cister, em Tavira, datado de 1509, um projeto aprovado e iniciado pelo Rei D. João III e dado por terminado com o Rei D. Manuel I, tendo sido o único mosteiro feminino desta Ordem em todo a região Algarvia, Ordem esta que nasceu com o objetivo de combater os infiéis, através da concessão de bulas papais e privilégios aos guerreiros que combatiam nas cruzadas; renasceu em 2012, com o chamado Convento das Bernardas Residence, um projeto do conceituado Arquiteto Eduardo Souto de Moura.

Uma residencial que se destaca pela sua imagem única, um edifício com inúmeras janelas com diferentes formas rasgadas nas paredes. Um edifício texturado, rugoso em tons bege que nos transmite transquilidade.

Para quem não conhece, é de certo um lugar a conhecer.

 

Untitled-1.jpg

 

ESM_23.jpg

 

ESM_24.jpg

 

ESM_26.jpg

 

ESM_27.jpg

 

ESM_28.jpg

 

ESM_30.jpg

 

ESM_31.jpg

 

ESM_32.jpg

 

LFA_20130312_008.jpg

 

LFA_20130312_013.jpg

 

Fontes de imagem, Plataforma de Arquitectura, fotógrafo Luís Ferreira Alves.

15
Mar19

Casa Terras 8


Mais um bom exemplo de arquitetura portuguesa, a Casa Terras 8, resultou de uma reabilitação urbana. Agora que está muito em voga a reabilitação de casas antigas aproveitando a fachada e dando-lhes um aspeto mais moderno, este é um resultado final que resultou muito bem.

Esta moradia situada no bairro de Belém em Lisboa teve o seu projeto concebido pelo atelier de arquitetura Colectivo Cais, em que aliou a sua fachada de azulejos tradicionais com uma ampliação minimalista.

 

 

1111.jpg

CaisAjuda19.jpg

 

CaisAjuda04.jpg

 

CaisAjuda05.jpg

 

CaisAjuda06.jpg

 

CaisAjuda07.jpg

 

CaisAjuda08.jpg

 

CaisAjuda12.jpg

 

CaisAjuda17.jpg

 

Fontes de fotografias Francisco Nogueira em Plataforma de Arquitectura.

24
Fev19

Cella Bar do Pico


Cella Bar, localizado na ilha do Pico, nos Açores, mais precisamente no Lugar da Barca, Madalena, é com certeza para Filipe Paulo e Fábio Matos um orgulho, não só por se ter tornado num local de sucesso onde se pode conviver, petiscar e beber como por ter recebido a distinção de Edifício do Ano 2016 na categoria de Hospitalidade pela ArchDaily. Cella Bar é uma obra de Paulo Lobo, designer de interiores e Fernando Coelho da FCC Arquitetura que vê, certamente, neste projeto um reconhecimento do seu empenho quando conseguiu unir o traçado original da antiga adega com o seu traçado contemporâneo.

Analisem e desfrutem deste orgulho nacional nas seguintes fotografias de Fernando Guerra | FG+SG.

 

Tudo Made in Portugal.

 

12523908_1736996839864012_1501953273091590523_n.jp

12274434_1720234351540261_1950126192292709135_n.jp

12247107_1720234508206912_241465021976044665_n.jpg

12289744_1720234241540272_8835131817482784636_n.jp

12249647_1720232951540401_2280783959167410609_n.jp

12294732_1720232461540450_3127150902741522852_n.jp

12227077_1719353111628385_3676448738267778088_n.jp

12239546_1720231634873866_7290895782938795567_n.jp

12247069_1719352678295095_6054007073464882084_n.jp

12249834_1720232574873772_1873195812965223597_n.jp

12278745_1719353234961706_1989159384269338182_n.jp

 

Fontes de imagem, disponíveis na página do facebook Cella Bar.

18
Fev19

Caiações do 'Moinho Barroco'


Hoje vamos até ao Alentejo, mais precisamente ao Moinho Barroco em Arraiolos. Lá bem nesse sítio podemos encontrar as Casas Caiadas, três lindas casas de aparência alentejana que um casal de Lisboa conseguiu recuperar para turismo rural. Quase parece um presépio. Está muito bem conseguida a forma como aliaram a arquitetura tradicional, com objetos e materiais tradicionais com mobiliário contemporâneo. Está simples e dá vontade lá viver.

Este é um projeto de Pereira Miguel Arquitectos.

As fotografias são de Fernando Guerra | FG+SG, Rute Raposo.

 

CC2.jpg

 

090107_01.jpg

 

_GG_9201.jpg

 

090833_01.jpg

 

090112_01.jpg

 

090128_01.jpg

 

090772_01.jpg

 

090702_01.jpg

 

090662_01.jpg

 

090495_01.jpg

 

Autoria das imagens, Fernando Guerra | FG+SG, Rute Raposo.

09
Fev19

A Bauhaus é Centenária!


A primeira instituição de ensino a quebrar as fronteiras e aquela que foi a escola pioneira na fusão da arte, o design e a arquitetura. Uma escola criada por um sargento da Primeira Guerra Mundial, que surgiu em um dos países aliados da Primeira Grande Guerra e aquela que nós estudamos na disciplina de História da Arte.

 

 

 

Fundada há 100 anos pelo arquiteto alemão Walter Gropius, a Escola Bauhaus deixou marcas profundas que nos chegaram aos dias de hoje.

Nos quase 14 anos de existência, a Bauhaus revolucionou o pensamento criativo e artístico e a criatividade em todo o mundo, como tal, é impossível falar da Bauhaus sem citar os seus fatos históricos.

Em 1916, enquanto ainda servia como sargento na Primeira Guerra Mundial, Walter Gropius propôs a criação de uma instituição de ensino que fornecesse orientação artística à indústria, ao comércio e ao artesanato, o que resultou na sua nomeação como mestre da Academia de Belas Artes de Weimar, na Alemanha, em 1919. Meses depois, ele conseguiu aprovar a fusão da academia com a Escola de Artes e Ofícios, fundando então a Escola Bauhaus.

 

A Bauhaus propôs uma combinação de ensino. O coração da educação do designer foi a experimentação e o design nas oficinas da Bauhaus, onde a separação do trabalho e do ensino foi amplamente abolida. Cada disciplina tinha sua própria oficina: cerâmica, tecelagem, carpintaria, metal, gráfica, oficina de palco, oficina de pintura em vidro e parede. Em cada oficina havia alguém responsável pelos aspectos técnicos e que cuidava dos lados estético-criativos. Mais tarde foram adicionadas, as oficinas de fotografia e publicidade, bem como uma educação arquitetónica regulamentada.

Após três anos de estudos, o aluno era submetido a uma prova diante dos professores para conseguir o diploma. Uma segunda fase, com oficinas e cursos focados em construção, garantia o título de mestre.

 

Esquema para a construção do ensino na Bauhaus, desenhado por Walter Gropius, 1923.

 

Como professores Walter Gropius havia contratado um número de artistas bem conhecidos, professores importantes como Ludwig Mies van der Rohe, Wassily Kandinsky, Oskar Schlemmer,  Johannes Itten, Lyonel Feininger, Gerhard Marcks Paul Klee e László Moholy-Nagy.

 

Poster para a exposição Bauhaus em Weimar 1923, design: Joost Schmidt

 

Para fugir da onda conservadora de Weimar, a escola muda-se em 1925 para Dessau. Walter Gropius aproveitou a oportunidade para projetar um edifício que representasse os ideais defendidos pela Bauhaus, como a estética ligada à funcionalidade e a economia de materiais. A enorme fachada de vidro, totalmente inovadora, permitia a ventilação e a iluminação naturais nos ateliês. Todos os elementos decorativos, como móveis e candeeiros, foram projetados e executados durante as oficinas.

 

O edifício Bauhaus em Dessau do noroeste, Arquitectura: Walter Gropius / Foto: Lucia Moholy, 1926

 

Em 1928, Walter Gropius abandona o cargo de diretor e nomeia o suíço Hannes Meyer como seu sucessor. Sob o novo comando, a escola focou na produção de móveis em larga escala e na construção de conjuntos habitacionais populares. Dois anos depois, Hannes Meyer é demitido, e quem assume o cargo é o alemão Mies van der Rohe. Com a ascensão do regime nazista, a escola passa a ser perseguida sob a acusação de espalhar ideais esquerdistas.

Como última tentativa de sobrevivência, Mies Van der Rohe muda a sede para Berlim em 1932. Mas pouco mais de um ano depois, a escola é fechada de vez, forçando diversos professores e alunos a fugir da Alemanha. Essa diáspora fez com que os ideais da Bauhaus se transformassem no movimento modernista que ainda hoje é falado nos cursos de Artes.

Ao longo deste ano, com a comemoração dos 100 anos, a Bauhaus irá renascer com alguns eventos.

 

Fontes de imagem e informação, site site

13
Jun18

Caiações do 'Moinho Barroco'


Hoje vamos até ao Alentejo, mais precisamente ao Moinho Barroco em Arraiolos. Lá bem nesse sítio podemos encontrar as Casas Caiadas, três lindas casas de aparência alentejana que um casal de Lisboa conseguiu recuperar para turismo rural. Quase parece que estamos num cenário de presépio. Está muito bem conseguida a forma como aliaram a arquitetura tradicional, com objetos e materiais tradicionais com mobiliário minimalista. Está simples e dá vontade lá viver.

Este é um projeto de Pereira Miguel Arquitectos.

As fotografias são de Fernando Guerra | FG+SG, Rute Raposo.

 

090532_01.jpg

 

CC2.jpg

 

090107_01.jpg

 

_GG_9201.jpg

 

090833_01.jpg

 

090112_01.jpg

 

090128_01.jpg

 

090772_01.jpg

 

090702_01.jpg

 

090662_01.jpg

 

090495_01.jpg

 

Autoria das imagens, Fernando Guerra | FG+SG, Rute Raposo.

11
Jun18

Casa Wrap


É isso mesmo que podem ler no título do post. O projeto Wikkelhouse foi pensado e criado no estúdio Holandês Fiction Factory e trata-se de um novo modelo de micro-habitação que segundo os criadores tem uma vida útil de pelo menos 50 anos.

A casa é feita de papelão ondulado em várias camadas unidas por uma cola ecológica, cada segmento está protegido por uma película respirável à prova de água que por fim é preparado com painéis de madeira.

Uma obra bastante interessante para quem procura habitações ecológicas.

 

Wikkelhuis_14.jpg

 

Wikkelhuis_12.jpg

 

W-House_01.jpg

 

W-House_02.jpg

 

W-House_03.jpg

 

Wikkelhuis_18.jpg

 

Wikkelhuis_15.jpg

 

Wikkelhuis_13.jpg

 

Fontes de imagem, site.

07
Jun18

Paraíso em Santorini


Portugal tem sítios lindíssimos para ver, mas onde me apetecia estar hoje mesmo era em Santorini, na Grécia.

Santorini transmite paz de espírito, com as suas casinhas brancas com alguns elementos azuis que dão ao azul do mar Egeu uma profundidade inesgotável.

Na parte mais alta de Santorini, está instalado o condomínio Aenaon Villas, com a sua luxuosa simplicidade.

Se me dessem a escolher um sítio para morar uns dias, seria este de certeza.

As imagens falam por si...

 

Gallery_7668.jpg

 

Gallery_2309.jpg

 

Gallery_3909.jpg

 

256.jpg

 

335.jpg

 

432.jpg

 

631.jpg

 

730.jpg

 

830.jpg

 

926.jpg

 

1023.jpg

 

1107.jpg

 

1219.jpg

 

1317.jpg

 

1416.jpg

 

1514.jpg

 

Bathroom-in-Aenaon-Villas-Hardscape-Area-near-Pool

 

Fontes de imagem, site.

27
Mai18

Moradia Terras


Um bom exemplo de arquitetura portuguesa, a Moradia Terras, resultou de uma reabilitação urbana. Agora que está muito em voga a reabilitação de casas antigas aproveitando a fachada e dando-lhes um aspeto mais moderno, este é um resultado final que resultou muito bem.

Esta moradia situada no bairro de Belém em Lisboa teve o seu projeto concebido pelo atelier de arquitetura Colectivo Cais, em que aliou a sua fachada de azulejos tradicionais com uma ampliação minimalista.

 

1111.jpg

 

CaisAjuda19.jpg

 

CaisAjuda04.jpg

 

CaisAjuda05.jpg

 

CaisAjuda06.jpg

 

CaisAjuda07.jpg

 

CaisAjuda08.jpg

 

CaisAjuda12.jpg

 

CaisAjuda17.jpg

 

Fontes de fotografias Francisco Nogueira em Plataforma de Arquitectura.

13
Abr18

’Tree Hopper’, humanização em casulo


Que projeto lindo visualmente e útil numa grande cidade. Cidades cansativas com o seu movimento e poluição sonora, este é um projeto louvável, onde quem gostava de subir às árvores em criança, vai adorar subir e ficar a contemplar a paisagem, descansar ou até mesmo utilizar o wi-fi.

Este projeto, Tree Hopper, de OTCO architects, foi o premiado com um merecido 1º lugar do Triumph Architectural Treehouse Award 2014.

 

visual-1_smal_mod.jpg

treehouse-1.jpg

visual-2_smallto-put_o.jpg

DIAGRAM5_small-to-put_o.jpg

 

11
Abr18

Janelas, janelinhas, janelonas...


Sou fã de janelas amplas, porque são elas que nos dão luz como se estivéssemos ao ar livre, são elas que nos dão mais liberdade em espaços fechados. Depois de descobrir o projeto "A Casa Janela", um projeto para uma casa de habitação em Kuala Lumpur, na Malásia, fiquei ainda mais rendida a estes orifícios tão importantes para a entrada do sol no nosso habitat.

Fiquem com este projeto de 2017, com 900 m² de área (coisa pouca), dos arquitetos FORMZERO, tendo como arquiteto responsável Cherng Yih Lee. 

Fiquem com as fotografias de Ronson Lee - Twins Photography.

 

templer_house_(2).jpg

templer_house_(124).jpg

templer_house_(0).jpg

templer_house_(110).jpg

templer_house_(29).jpg

templer_house_(118).jpg

templer_house_(81).jpg

templer_house_(1).jpg

 

 

Sobre mim

foto do autor

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.